Big Data e estratégias eficientes

A pesquisa com Grande Quantidade de Dados

Imagina-se a seguinte situação, um indivíduo que possui um negócio e precisa decifrar/interpretar uma grande variedade de informações para se chegar aos sentidos daquele emaranhado de dados. Após esse processo, este mesmo indivíduo precisará saber como aquelas informações poderão se tornar uma aliada na tomada de decisões no Marketing de sua empresa. Assim sendo, pode se dizer que o Big Data compõe esse processo de fornecer e interpretar quantidades variadas de dados e informações de uma forma estruturada e desestruturada.

Para quem toca um negócio a sério e com um espírito competitivo, deve saber que o Big Data é uma ferramenta poderosa em diversos aspectos que podem beneficiar a empresa. Seja em estratégias de Marketing Digital, Merchandising ou até em decisões internas como a diminuição dos custos e o aumento da produtividade, que por consequência geram competitividade, reconhecimento de colaboradores versus clientes e o tão desejado lucro.

Esse conceito também pode ser usado em gestões públicas, como governos, que diariamente são expostos aos problemas estruturais do estado ou município. Juntando os dados disponíveis em Big Data e a inteligência analítica dos profissionais de TI contratados para tal serviço, pode se chegar a progressão e eficiência na gestão de serviços públicos como Segurança Pública, Saúde e Educação.

Vamos aqui há um exemplo simples, mas que vale para todo estado que conta com o Sistema Único de Saúde (SUS) em suas unidades hospitalares:

Digamos que a capital de um determinado estado possui um Hospital Público de grande porte, onde a demanda de procura é majoritariamente de pessoas que tiveram um início de infarto do miocárdio, que segundo o Ministério da Saúde, a taxa anual de pessoas com doenças cardiovasculares chega a 300 mil. Em relação aos dados, estão disponíveis: a entrada de pacientes que procuram a unidade com esse tipo de problema, o tempo de espera para o atendimento, a oferta de cardiologistas, a estrutura física do hospital e a experiência de cada paciente.

Possuindo estas informações, a equipe de gestores do Hospital juntamente com a respectiva Secretária de Saúde do Estado podem tomar decisões de otimizar os atendimentos com a expansão da ala especializada em problemas cardiológicos, diminuição do tempo de espera com a contratação de mais profissionais com o intuito de aumentar o oferta. Com esse pacote inicial de medidas, aperfeiçoa-se o nível de experiência dos pacientes que procuram a unidade, proporcionando um contentamento e a percepção de que uma parte significativa dos 12% dos impostos líquidos reservados para a saúde estão sendo investidos com êxito pelo estado.  

Além da melhoria no atendimento, também pode entrar nesse pacote de medidas um percentual da verba publicitária para a produção de spots para o Rádio e peças na TV com o objetivo de conscientizar a população local sobre o infarto, suas consequências e como evitar o problema. Desta forma, os dados obtidos pelo Big Data foram fundamentais para a tomada de estratégias eficientes, visando a melhoria no atendimento e gerando o aperfeiçoamento da experiência dos pacientes com problemas do coração.

Um bom gestor, seja de uma empresa ou governo, precisa acompanhar os dados obtidos com o Big Data caso estime uma administração de sucesso e com ampla aceitação daqueles que são alvos das estratégias tomadas a partir das informações coletadas, que por ventura se transformam em benefício para todos.

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*