A Marca como voz ativa do negócio

Lendo com atenção  “Os Piores Textos de Washington Olivetto” descobri que não somente a estratégia e a receita de verba para publicidade são importantes para o sucesso de um negócio. A prova dos nove foi tirada através de uma pesquisa de branding feita pelo LOPEM para uma empresa do ramo alimentício.

No grupo focal realizado com um público almejado pela empresa, a reclamação maior foi em relação a falta de força da Marca. “A cor que eles usam é estranha e confusa, sem falar que não existe algo que chame nossa atenção, que me faça lembrar depois do nome da marca”, disse um consumidor.  Sendo curioso e humilde para ouvir as pessoas, pedi a elas que citassem exemplos de marcas e o motivo pelo qual chamam atenção na visão delas. Resultado, não faltaram exemplos e até sugestões para a empresa.

Sem dúvida, o gargalo maior foi a falta de voz ativa da marca que convidasse os potenciais clientes a entrarem nas lojas e consumir algum produto. Em relação a outros fatores como o sabor e a embalagem dos alimentos, o atendimento e o ambiente das lojas físicas foram aprovados pelas pessoas que já foram aos estabelecimentos da empresa em questão.

Empresas, estatais, políticos e governos já entenderam a importância da identidade visual e seu papel de atividade no imaginário das pessoas. A marca precisa ter voz, carisma e simplicidade para ser o sinônimo do produto ou empresa. E simplicidade falo de forma literal mesmo. O exemplo clássico foi da Companhia Vale do Rio Doce, que mudou sua identidade apenas para “Vale”.

Por fim, trago um trecho de “Os Piores Textos de Washington Olivetto” muito propício ao tema em que o publicitário diz: “Eu sempre achei que o cartão é mais importante do que as flores!”

P.S: No momento em que escrevia esse post, perguntei à minha mãe: “Quando a senhora pensa em sabão, o que vem primeiro na sua cabeça?”

Bem, a resposta foi dada e para não fazer merchandising espero que a resposta dela seja a mesma que veio a sua cabeça.

Gabriel Barbosa – Jornalista e Analista de Dados do LOPEM

Share this Post

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*
*