Texto ou áudio?

O WhatsApp tem liberado gradativamente a função que permite acelerar a reprodução de áudios enviados em conversas pelo aplicativo. Esta nova função reacendeu uma discussão antiga que permeia a interação pelo mensageiro: texto ou áudio, qual a forma de interação mais aceita pelos usuários?

Em 2019 o debate já tinha sido posto entre os assuntos mais comentados do Twitter. Os que defendiam a interação somente no formato de texto levantaram os seguintes argumentos:

  • O texto permite uma melhor absorção dos assuntos;
  • As mensagens otimizam o tempo do receptor, uma vez que permitem uma leitura rápida;
  • O texto facilita a pesquisa rápida, em caso de dúvida, por meio do “copiar/colar”;
  • Gravar áudio é uma forma egoísta de economizar tempo às custas do receptor que terá de empregar tempo na escuta.

Já os defensores do áudio argumentaram que:

  • O recurso permite uma comunicação mais afetiva;
  • O áudio permite uma maior fluidez no diálogo pelo WhatsApp.

O 𝗾𝘂𝗮𝗹𝗶𝗰𝗵𝗮𝘁 se propõe a analisar a conversação, em forma de texto, por meio do WhatsApp. Uma forma de entender quanti e qualitativamente o comportamento dos usuários na rede. Já está planejado para que em 2022 possamos também analisar informações me formato de áudio via processamento de linguagem natural.

Share this Post