O Instagram é um aplicativo de fotos?

O chefe do Instagram, Adam Mosseri, anunciou, no dia 30 de julho, mudanças no algoritmo do aplicativo a partir dos próximos meses. Em sua conta pessoal no Twitter, o executivo afirmou que “o Instagram não é mais um aplicativo de compartilhamento de fotos”, e que a rede social deve focar em quatro áreas: criadores de conteúdo, vídeos, compras e mensagens.

Apesar das mudanças, o Instagram não deixará de permitir postagem de fotos, mas passará a priorizar os conteúdos em vídeo. Segundo Mosseri, o “vídeo está proporcionando um grande crescimento online para todas as maiores plataformas”, e defendeu que é algo que o Instagram precisa investir mais. Pensando nisso, o algoritmo está sendo programado para impulsionar estes formatos, e a ideia é apostar em experiências imersivas, com reprodução de vídeos em tela cheia, tendo o mobile como foco. Estas mudanças fazem parte de uma estratégia da empresa para competir diretamente com o Tik Tok e o Youtube.

Outra modificação garantida por Mosseri é a possibilidade de inclusão de links externos nos stories para todos os usuários. O tradicional “arrasta pra cima”, atualmente disponível apenas para quem possui mais de 10 mil seguidores, será substituído por adesivos que permitem a inclusão dos links. A nova funcionalidade já está sendo testada em algumas contas do aplicativo que utilizam o sistema operacional iOS, mas ainda não há previsão de lançamento oficial.

Banalização do conteúdo

O anúncio da mudança no algoritmo não chegou de forma positiva para todos os usuários. Alguns produtores de conteúdo alegaram que há o risco de banalização dos conteúdos de ativistas e educadores, por exemplo, uma vez que teriam de adaptar suas postagens ao formato de entretenimento do Reels. Essa necessidade de adaptação também poderia acarretar, segundo os produtores, no fim das postagens em arte e texto no feed, já que não fará sentido a produção de conteúdos que não serão impulsionados.

Share this Post